terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Bring Home the Bacon

Bring home the bacon...
Há quem necessite de constantes elogios para alimentar um ego apoiado em premissas falsas, como se por repetição se tornasse verdade - "disseram que eu era tão inteligente...porque falo de tanta coisa diferente...", sendo depois a tendência de ou por inveja ou simplesmente por pancada na tola a necessidade de superiorização de quem não necessita desses constantes elogios... - boa forma de detectar esses que andam pelo meio de nós é o constante numero de vezes que nos interrogam com o rabo a jeito para as palavras mágicas e desejadas de alimento ao ego.

Podemo-nos sentir na merda, abalados, abatidos, deprimidos e desde que não sejamos sócios do sporting (minimos olimpicos) sabermos por nós mesmo que podemos "Bring home the Bacon"...




desde que acordei determinado em dar o bazarete fui presenteado com 3 propostas de trabalho - a quarta não remunerada e por isso não conta - e tendo em conta as dificuldades de colocação dentro da minha area... parece-me desnecessário ir atender telefones ou ir para o belo do macdonalds - em inglaterra é dada a equivalência a um curso superior trabalhar no mac.
As duas propostas de trabalho fora de portugal não entram na equação pois ao contrário das propostas caseiras não surgem de trabalho já realizado, qualificação profissional e provas dadas no mercado de trabalho, logo, e para mim deixam de ser referência - mas agradáveis mesmo assim.






Mas qual é a relevância de tudo isto?
A dúvida - shud I stay or shud I go now?, if I stay... se ficar com o tempo as coisas encaixam "a-rotinam-se", mudam e transformam-se neste caso de certeza em algo muito melhor - não será propriamente dificil.

Conclusão - O meu cerebro pode talvez estar a tentar matar-me, conspirando com um cacto que me atacou duas vezes sem provocação - e sem se mexer o que impoe respeito, mas de certeza que confunde, baralha e mesmo procurando ter todas as cartas em cima da mesa para tomar uma decisão a melhor solução parece ser recorrer à moeda ao ar....


nota - estupidamente perde-se tempo com pessoas, ideias, emoções, vontades... burras e idiotas, quando afinal o plano perfeito de invasão da Russia não era propriamente inteligente (Napoleão, Hitler e o Rei da Suécia não foram propriamente espertos), o pittbull não era mansinho e não curtia festas de estranhos, a deusa púdica era uma rameira caprichosa e infantil, o bolo com cobertura de chocolate era delicioso mas os ovos... já deu para se perceber a ideia... o que interessa é não esquecer que somos capazes de "bring home the bacon"

o Calvin Rula

Um comentário:

Deizz disse...

diria mesmo Calvin ao poder.
hmmm escusado será dizer que estas proibido de ir para longe...
escusado será dizer que gosto de te ler**