quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Bipolaridade cinematográfica 2009 - Parte II

É recorrente ao escrever -Parte II, IV ou Parte XVIII recordar-me da Piada - Carnificina Total Parte I, Parte II e Carnificina Total Parte Tudo.

(suspiro)

no espaço de 24h a enormidade de maus filmes dignos pelo menos de uma menção honrosa que me lembrei...

para minha surpresa nenhum deles com o Di Caprio...

(o Russell Crowe transporta o Body of Lies para outro nível, mesmo com o Di Caprio a puxar para baixo, e sim, eu sei que o filme é de 2008 mas somente o vi em 2009)

mas retomando o tema central deste post:


Zooey Deschanel



Ah... Zooey... (eu disse que colocaria duas fotos, nº1 checked!) tu és Deschanel... De schanel, eu sou De Sousa, temos algo em comum...

(muuuuito forçado)

adiante...
reparo que atingi a meta por mim pretendida - superar o número de postagens de 2008, era desnecessário e poupava-me uma trabalheira do caraças terminar esta coisa de melhores / piores filmes que vi este ano...

mas...
para além de aproveitar e recordar - e recordar é viver! (10 pontos pela referência a vitor espadinha) - filmes que gostei, adorei, recomendei, postei- incluindo uma review-, citei e agora salientarei (yyeeeyy) como os melhores filmes que vi em 2009

A SAGA CONTINUA!!

mas antes de continuar...

duas ou três notas

Ainda não vi o Sherlock Holmes, 500 days of summer e... o Avatar.




Irei provavelmente ver todos antes do final deste ano, e parecem-me fortes candidatos -tendo em conta um dos meus filmes preferidos em 2009 ser o filme que é- a entrarem nesta lista, mas... sempre posso fazer uma emenda à-posteriori, ou caso se confirme que a história do Avatar é o ultimo samurai.... dança com lobos 3d...
não.

sobre o Sherlock Holmes é elementar (tinha que fazer a piada) - Robert Downey Jr.

para mim funciona como Daniel Day Lewis ( melhor actor vivo - sorry Denzel), se ele aparece no filme... vale sempre a pena só pela actuação.

(por algum motivo gramei com o gangs de nova yorque... e o Di Caprio)

sobre o 500 days of summer...


Joseph Gordon-Levitt é um excelente actor.

( sim... e é por isso que vou ver o filme)





Só não está já na lista porque ainda não vi, senão a Zooey... futura Cunhada da minha Irmã teria um filme garantido na minha lista

a terceira nota é o inverso ... é ser critico e exigente com um filme quando o considero mau, mas no inverso... muitas vezes tanta coisa má consegue ter a sua piada, consegue ser bela, ser epicamente má...

óbvio que estão presentes indiscutíveis, filmes marcantes agora e daqui a 20 anos ou marcantes 20 anos atrás, já o Porto era Campeão Europeu e mundial...

o que voltamos a ser 5 anos atrás

(o autor do blog orgulha-se de ter tido na suas mãos a taça dos campeões europeus e a taça intercontinental)

mas é chegado o momento pelo qual ansiamos, o momento em que o Dempsey sai do armário... o momento da revelação, em que os nomes são ditos, os livros fechados e a cortina sobe...

em que ela solta o cabelo e este a rodeia e a vemos em todo o seu esplendor, toda a sua presença...
em que avança e sorri... sorriso de quem já sabe o jogo do adversário, sabe o que tem ou não para expor...

sabe quais os trios ou sequências, sabe mas saboreia continuar a jogar...

manter a ilusão, manter o jogo aberto sabendo o resultado vitorioso no fim.

obrigo-me a escolher o melhor filme que vi em 2009 mesmo sabendo que ainda não o sei quando escrevo estas palavras...

sei que os 5 primeiros - havia de ser o quinto filme da lista ahahaha- não o são mesmo sendo em mim grandes e gloriosos e ...bora lá escrever isto senão nunca mais saio daqui


District 9




Provavelmente a revelação do ano.
um filme que envergonha pelo baixo orçamento e altissima qualidade 99% dos filmes
exibidos numa sala de cinema
a Qualidade dos Efeitos - X-men origins- a qualidade do argumento, mesmo se fizermos um paralelismo com o Apartheid e o problema racial - envés de da porcaria do 2012 por exemplo- o que está ali em causa é sempre algo mais do que humano, são pessoas, são sentimentos.

é o direito à vida, o direito a ser livre e o abuso de poder de quem é mais forte

é muita coisa social e actual sem nunca cair no cliché ridículo de frases feitas - discurso para abrirem as portas no 2012



é original e diferente, é autêntico desde o primeiro minuto - as entrevistas como se fosse um documentário, a excelente utilização de uma câmara de uma personagem in loco como se fizessemos parte da acção- e o lado humano credivel nas suas reacções- a criacção de um guetto, dos gangs nigerianos, tudo credivel e "real"





carreira como actor de Sharlto Copley (Wikus Van de Merwe no filme):

2005 - alive in joburg
2009 - district 9
2010 - A-team (yeeeahh!!)

deixa-me quase sem palavras o poder da actuação de Sharlto Copley neste filme, não era actor, não queria ser actor mas simplesmente brilhante, sublime e tudo aquilo tanto actor não consegue ser.

revelação do ano a par com Christoph Waltz - qualquer prémio de melhor actor fica bem (e deveria ser) entregue a qualquer um destes dois e apenas estes sendo obviamente Christoph Waltz deus e senhor todo poderoso em 2009 - tobey maguire...bom esforço no brothers

Notas finais - há tanta coisa para falar sobre este filme, quer como peça de arte quer como filme de entretimento mas nunca mais acabava e ficariam textos demasiado extensos.
Fazendo regra para os filmes que se seguem termino com...

Momento do filme - quando Wikus Retira a ligadura da mão

a nível pessoal - ontem referi a fraca qualidade do texto do New Moon, após saber que estava a mudar genéticamente Wikus desespera apenas e somente para voltar para casa,para a mulher, para voltar tudo ao que era.
quando fala ao telefone com a mulher diz-lhe - eu quero-te abraçar outra vez...
ela responde- eu não quero que me abraces mais...

e isso destroi-o emocionalmente, devasta-o e sentimos todo o afecto e o quanto lhe doeu a resposta tão simples e tão cruel.

isto sim.



UP




Nos primeiro acto de Up conhecemos o agente motivador da acção de todo o filme.

e é tão triste todo o romance... o amor que junta duas pessoas tão diferentes e aquele sonho de um dia ... um dia vamos viajar...
ela morre e o sonho passou a ser apenas memória de algo que nunca foi feito.



mas que se foda ( literalmente assim) pensou a personagem de Carl e foi fazer o que nunca devia ter deixado o tempo vencer.

(ao escrever isto recordo-me que foi exactamente nesse impulso que decidi ir à minha South America Tour, fiz a mala e zarpei solo po outro lado do mundo)


(Alpha, Beta e Gamma)

sentia-me na presença de um excelente filme, muito bom e consistente, até de certo modo... engraçado - mesmo com aquele começo hardcore até que...

SQUIRRELL!!

entram os canideos em cena...
mantendo o nível enquanto filme a genialidade das piadas com os cães e as constantes quebras de tensão com o já citado grito de Squirrell transportaram Up para um patamar de filme de eleição

Dug- "Won't you please be my prisoner, please please please! "
Momento do filme - Quando Carl, Dug e Russel entram no Dirigivel e um exército de Cães efectua toda uma variedade de tarefas domésticas, o cão incarregue de limpar o esqueleto de dinosauro em exposição aguarda que o seu "mestre" passe com os convidados, esbugalha os olhos e arrefinfa-se esganado ao osso.


Hilariante.




Doghouse




Ahaha ahahahahaha ahaha
pelarmodedeus...

o trailer deste filme devia ser semelhante ao do Paranormal Activity, a reacção do público ao filme sendo neste caso uma plateia 100% feminina...

se alguma mulher recomendar este filme... ela tem um penis.

como é genético nos gajos, há um sentimento de solidariedade entre amigos no que toca a mulheres - quando um gajo vê o amigo com uma namorada bonitona pensa- quero uma daquelas para mim...quando é uma mulher pensa - quero AQUELE gajo para mim.

ahaha

um grupo de amigos decide animar um dos membros do grupo que ficou recentemente solteiro - culpa dela obvio - e como tal- raciocinio tipicamente gajo- decidem passar o fim de semana numa cidadezinha pequena no interior onde 9o% dos habitantes são do sexo feminino...

(como ir passar férias a Lesbos na esperança de...)

enfim...



(Danny Dyer as Neil - self proclaimed ladies man "the ladies love me" and unreconstructed misogynist)


Se o filme começasse - Baseado em factos veridicos eu diria - é possivel
mas não... é ficção - certeza que tive na cena em que o neil cai do telhado para um quarto onde 3 mulheres zombies semi nuas o atacam, mas como todas as zombies no filme mantêm traços da sua personalidade, com a proximidade corporal- e o facto de o Neil estar deitado numa cama, envolvem-se numa tórrida cena de lésbica à-lá-filme porno...

o irreal da cena é o Neil aproveitar para fugir- ele volta para trás para ver a cena outra vez - um gajo na vida real ficava...

senão continuaria credivel como um documentário

O número de vezes que pensei - bem... no meu caso ela não tinha uma tesoura, ela tinha um garfo...

é impossível um homem não se identificar com a reacção perante mulheres zombies no filme - zombie ou não zombie... vai dar quase ao mesmo, o que varia é a rapidez e o tempo de fuga






Um Grandioso filme em que os homens se comportam como homens e as mulheres se comportam como ... mulheres.

sorry.

(desafio qualquer mulher a encontrar uma reacção das Zombie no filme que apesar de exagerada - ou não - não seja na sua essência totalmente credivel e recorrente no espirito e comportamento feminino )

o virus que zombifica as mulheres propagou-se através do detergente para a roupa




" ...agora não é altura para parar de Objectivar as mulheres
..."
" - mas que virus é que só afecta as mulheres?
- a gripe A
..."


Momento do filme - neste é dificil quando todo o filme é uma sucessão de magia hilariante, mas responderia o momento em que voltam para trás para salvar o amigo que pensavam estar morto e debatem que tipo de taco de golf é o mais indicado para a operação

ou então todas as falas do Neil.

(Danny Dyer Rula)


Sex Drive




Era impensável não colocar Sex Drive nesta lista

(já lhe dediquei dois post neste fantástico blog)

tinha tudo para ser mais uma comédia de adolescentes tipo American Pie 9...
...mas não, longe disso.

dentro de um enredo relativamente banal este filme consegue não só ter piada como ter mesmo muita piada ao ponto de ser fisicamente dificil suportar o filme em certos momentos de tanta piada- o que verão mais à frente no momento do filme se não viram já no blog (...a falar assim parece que isto são milhares de milhões de pessoas a ler A um porto azul todos os dias...)

(quando a vossa net vai abaixo é a sobrecarga da rede de pessoas em todo o mundo a tentar aceder a este blog)

(incluindo gente dos Açores e da Madeira)

(...e um gajo no Japão)



Seth Green é absolutamente genial em todos os momentos que aparece no filme




James Marsden é o melhor momento do filme




Andy & Randy - primeira referência que fiz ao filme Sex Drive em fevereiro - deviam ter uma aparição no New Moon

tinham salvo o filme...

acho que salvavam qualquer filme




Randy
: What's Up?
Andy: What's Up, what's up?
Randy: You wanna party?


Randy: You wear thong underpants?
Andy: You want us to take our shirts off?
Randy: Where do you live?
Andy: Is your mom hot too?
Randy: Where do you live?
Andy: What's your address?
Randy: You like pizza?
Andy: What's your address?
Randy: What's Up?
Andy: What's your address?


Randy: You should bang her. We would.
Andy: Dude, we would bang her so hard!
Randy: Tell her we'll bang her for you if you're not into it!
Andy: Yeah, hard!
Randy: With our dicks!
Andy: Our dicks are huge!
Randy: You can see them from space!


Randy: Oh, what's up, what's up?
Andy: What's up what's up?
Friend nº2: Hey, uh, can I ask you guys a question?
Randy: You just did!
Friend nº2: Can I ask you guys another question?
Andy: You just did again!


Momento do filme:







Mega Shark Vs Giant Octopus




Mega Shark Vs. Giant Octopus na lista de melhores filmes que vi em 2009

Eu estou a falar a sério.

escrevi aqui no blog em Maio:

"afirmo inequivocamente, apesar de estarmos apenas no mês de maio que Mega Shark Vs Giant Octopus é de longe o filme do ano de 2009.

leram bem mas repito: MEGA SHARK VS GIANT OCTOPUS FILME DO ANO DE 2009

o que é facilmente provado:

Nome do filme - Mega tubarão versus Polvo Gigante"


sou um homem de palavra, e consigo dizer sem perder a poker face que gosto sinceramente deste filme...

como um filho retardado... ou um familiar lampião.





Sim, o tubarão come a golden gate...




Sim, o Tubarão salta do oceano e apanha um Boeing em pleno voo a 10 mil metros de altitude...




Sim, o filme tem o Lorenzo Lamas...


Eu apaixonei-me por este filme...
quero combinar um café com ele, ficarmos a conversar umas horas até sugerir um sushi para jantar... rirmos, trocarmos olhares cumplices...
prolongarmos o momento com um cinema, uma comédia romântica...
passearmos de mãos dadas a olhar para o rio, leva-lo para minha casa ...

acender umas velas de cheiro, um john legend a tocar de fundo, aninharmo-nos no sofá...

Oruborus, o filme é tão mau que deu a volta...


"sharkzilla is gonna own the seas"


Momento do filme -










(o filme é tão mau que por mais que reduza o tamanho fica sempre desajustado ao blog só para verem o poder de Mega Shark Vs Giant Octopus)



Cashback



Para falar de Cashback ... há que falar momentos.

há que falar daqueles momentos que retemos fortes na memória sempre connosco

ás vezes um cheiro, uma música ou mesmo nós voluntariamente recordamos como se estivéssemos novamente nesse instante.

como se nós parássemos o tempo à nossa volta e fossemos espectadores dessa mesma situação...

sem pressas...






Mas depressa ou veloz as coisas são o que são, há coisas que não voltam atrás, há gestos que inevitavelmente irão acontecer, há palavras que serão inevitavelmente ditas...


podemos capturar o momento, podemos até o desenhar, podemos inspirar todo o momento presente conscientes de tudo o que nos rodeia e é parte de nós... nos outros e nos liga e podemos perder...

as amarras que nos prendem ao porto um dos outros...





o presente parado ou em movimento é sempre areia que nos foge da mão...
é sempre o cabelo de uma mulher que desfia pelos dedos para longe de nós

é sempre qualquer coisa que já aconteceu, já não está aqui.


Momento do filme?

o fim...

na neve, o tempo parado em seu redor...
e ambos, os dois juntos num limbo intimo e cúmplice, e o tempo...

o tempo parado em seu redor... em redor dos dois.




Inglorious Basterds







A Imagem que se segue pode ferir as susceptilidades de pessoas mais sensiveis e impressionáveis, pessoas com problemas cardiacos ou problemas epiléticos devem sair deste blog de imediato.















Foi de longe o filme do ano.

Inglorious Basterds o melhor filme de 2009

Melhor actor de 2009 - Christoph Waltz

considero inquestionável e sem margem de argumentação.

Col. Hans Landa do primeiro ao último minuto do filme é poder e grandiosidade, é o filme.

(segundo Tarantino, no waltz... no movie)



(Jew Hunter'? It's just a name that stuck)

Strudel transformou-se em algo maléfico...

(mas com natas! espera pelas natas!)


(Wait for the crème...)


desde o primeiro enquadramento do filme até ao último, Inglorious Basterds é uma peça de requinte e subtileza cinematógrafica, os dialogos, o humor - e o alivio tenso que trazem - a consistência de todas as personagens ficando no ar a ideia que havia ainda muito mais a espremer de todas elas... como uma sequela com os Basterds... (pleeeeeeeeaase)

mas se a imagem é sublime...

os dialogos são... o que prende à cadeira durante o jogo de cartas no bar, são o que nos sobresalta da mesma quando Landa retira o cachimbo ( hilariante ) e tinhamos somente 20 minutos de filme, é uma tensão criada com palavras... com a nossa mente - Strudel
ou na cena inicial, a subtileza de Landa de mudar do Francês para o Inglês...


(My name is Lt. Aldo Raine and I'm putting together a special team, and I need me eight soldiers...we're gonna be doin' one thing and one thing only... killin' Nazis.)




Col. Landa - "I love rumors! Facts can be so misleading, where rumors, true or false, are often revealing"

Lt. Aldo Raine - "Well I speak the most Italian, so I'll be your escort. Donowitz speaks the second most so he'll be your Italian cameraman. Omar speaks third most, so he'll be Donny's assistant.
Omar - But I don't speak Italian.
Lt. Aldo Raine - Like I said, third best. Just keep your fuckin' mouth shut. In fact why don't you start practicing, right now "

Lt. Aldo Raine - "Gwwaatcie... grwaacie ...
Arri...Vedecci"

é indiferente se no fim a segunda guerra mundial é ganha num cinema em chamas...




(You see, we're in the business of killin' Nazis, and boy, business is boomin'.)



(Donny...We got a German here who wants to die for his country! Oblige him!)


Momento do filme - Podia Retirar uma qualquer do Christoph waltz ou do Brad Pitt quando abria a boca - principalmente em italiano, podia falar do strudel, podia falar do dedo na perna como técnica de interrogação, podia falar do jogo de cartas no bar... todo o filme

mas o momento do filme foi o sair da sala com um formigueiro de adrenalina e pensar- granda filme!!! há anos que não saía tão saciado de um filme assim, perfeito.



JCVD




"This movie is for me.
There we are, you and me.
Why did you do that?
Or why did I do that?
You made my dream come true.
I asked you for it.
I promised you something in return
and I haven't delivered yet.
You win, I lose.
Unless...
the path you've set for me
is full of hurdles
where the answer
comes before the question.
Yeah, I do that.
Now I know why.
It's the cure,
from what I've seen here.
It all makes sense.
It makes sense
to those who understand."



JCVD ...


começa como um bom filme, muito bom e surpreendente.
boa história, bom enredo.
bom sentido de auto-critica e uma surpreendente capacidade de Jean Claude Van Damme se rir de si próprio, de se ver em perspectiva, exteriorizando-se a si mesmo e com um sorriso devolver-nos a imagem que descobriu...

e estamos no filme... presos... presos com ele no banco e o filme é bom...

e ele senta-se... a camara com ele sobe e ele desabafa, ele chora e ele é grande a subir para grandioso, caramba... Jean Claude Van Damme!




dei por mim confuso... rendido ao filme e ao actor, mas questionando-me quem era JCVD que acabara de ver?
seria real?
20 anos a ver os filmes que vi com o Van Damme - o que explica o choque da minha reacção
seria possivel eu dizer - Jean Claude Van Damme fez uma das melhores actuações num filme em 2008 - outro filme que somente descobri em 2009- e acontece que...


"...Jean-Claude, Mickey Rourke and Sean Penn were nominated for Best performance at Toronto Film Critics. Yesterday, winners has been announced, Mickey Rourke won..."

"...Jean cloude is on 2nd possition in the top 10 movie performance of 2008 in the Time Magazine - 1º Heath Ledger..."


JCVD é um excelente filme até ao Monologo, durante este ... é grandioso.





Momento do filme -






Hero
-
Ying Xiong





Hero...

custou-me 1 euro o dvd...

considero este filme a maior falha cinematográfica que inconscientemente carreguei desde 2002 até 2009

este filme fez-me exigente.

Hero é pura poesia visual.




se retirássemos a cor na sua importância actual no filme, cor presente como um filme "normal" seria em si mesmo um magnifico filme...
mas a cor é parte do filme, das personagens e do enredo, é um estado de espírito e de alma, é algo que conversa connosco, nos altera e induz a concluir sobre este...


é tão presente como uma personagem, é parte de todas as personagens como o seu rosto, como um espelho da alma individual e do sentimento que cada um carrega sobre a mesma história




é uma beleza para lá estética, é uma beleza espiritual que materializam de um modo visualmente palpável.




a narrativa do filme mescla-se com a cor consoante a história que nos está a ser contada sobre cada personagem



e como tenho dito por aqui... há acasos , gestos em vão que se tornam na sua simplicidade belos... perfeitos... como o verde ter sido escolhido para os Flashbacks por que não tinham mais cores...

o azul porque era a cor da água no lago onde filmariam essa parte da história...

tão simples como isto...

mais tarde tornou-se consciente e parte do filme não como acaso mas como deliberado gesto do autor


tantas vezes um ligeiro traço numa folha foi o catalizador para um ou mais desenhos

uma ou duas palavras chave o começo de uma frase e esta o de um texto...




falei da cor...

os gestos... a beleza flutuante dos gestos na interacção entre as personagens, nos combates, na procura de uma forma de escrever uma palavra...
orgânicos e deslizantes





todo o labirinto narrativo... uma manta retalhada que vamos juntando até compreendermos num saboroso momento de clarividência propositado em que nos sentamos tão perto do Rei de Qin...

e questionamos, questionamos se queremos que o Rei de Qin unifique a china... questionamos todo o trajecto de todas as personagens e as suas decisões que acompanhamos e agora compreendemos




As velas que tremem... dançam e se curvam com a vontade de sem nome para o Rei de Qin





Hero é para além de um excelente filme, visualmente senão o melhor (Não me recordo de nenhum agora) um dos melhores filmes que vi ou há para ver.



e só me custou 1 euro....


Momento do filme - a luta entre as folhas caidas visualmente...

...o momento de decisão da personagem de Jet Li e a longa caminhada durante a qual a poeira do filme assenta com a clareza de um traço a preto sobre um fundo branco...





The Boondock Saints



(...And shepherds we shall be, for Thee, my Lord, for Thee. Power hath descended forth from Thy hand, that our feet may swiftly carry out Thy command. So we shall flow a river forth to Thee, and teeming with souls shall it ever be...)



OOOOOH YEEEEAAAAAHHH

Funny Funny Funny!

a palavra Fuck é usada 246 na sua versão original e derivados

Rocco - " Fuckin'- What the fuckin'. Fuck. Who the fuck fucked this fucking... How did you two fucking fucks... FUCK!
Connor - Well, that certainly illustrates the diversity of the word. "

merecia destacado um lugar nesta lista, como um filme em si, pelo Willem Dafoe - THERE WAS A FIREFIGHT!!

pela interacção hilariante entre os irmãos McManus

e pelo grande e mítico Funny Man Rocco!




Era Possivel isolar cena a cena e cada uma delas ser uma peça fantástica ou de hilariante comédia ou simplesmente Bad-ass como filme de acção.

(o gato - ahahah, o Defoe Gay Macho e a sua interacção na cama, no bar, o Defoe transportando-se para o local do crime visualizando a cena...todo o filme)

o Dialogo sobre a corda, a necessidade de uma corda, a discussão sobre esta, a queda e presos pela corda... Fuck yeah!

após Rocco acariciar o peito de uma Striper inconsciente :
"Connor- what the fuck are you doing?
Rocco - ...Ill tip her"


( il Duce )


o bartender gago com o sindroma de tourette

a relação dos Irmãos com Rocco

a piada do Rocco

Willem Dafoe vestido de mulher

a cena com a Lésbica gigante no matadouro...

e todo o filme.

Cena após cena de acção, visualmente perfeito intenso sempre repleto de um fantástico sentido de humor





(there was a...FIREFIGHT!!!)


Filme obrigatório para qualquer membro do sexo masculino que aprecie filmes de acção
filme proibido a fémeas que tenham gatos
filme proibido a fémeas. (ponto)





The Blood of Cuchulainn



Momento do filme - era complicado destacar a sequência da corda, pois esta desenvolve-se ao longo de 10 minutos do filme, podia puxar qualquer uma com o Defoe, ou a do gato- muuuaahahahaha

é obrigatório ver todo o filme, fica somente um apontamento



You look fucking scaaaary men!



Menções Honrosas:


Zombieland - não é o Shaun of the dead e se não fosse o Doghouse seria o segundo melhor filme de Zombies de sempre, woodie Harrelson em grande

Hangover - Hilariante, do momento que acordam até ao casamento- the dan band!, passando pela respeitosa cena com o tigre na câmara de vigilância à tirada- não sabia que eles davam aneis no holocausto...


mas o vencedor é:


Before Sunset





















Nenhum comentário: