sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Rebecka.

Veio o frio e levou-me a Rebecka.
Quem é a Rebecka?
A aranha que viveu no retrovisor do meu carro durante sete meses.
A primeira vez que a vi estava a papar. Estava a papar um mosquito cheio de chicha e fiquei contente e orgulhoso.
Começaram as obras na minha rua e eu fiquei com o carro cheio de pó, um nojo.
Recusei-me a lavar o mesmo, obviamente, não ia correr o risco de afogar a minha menina.
Passaram-se os meses - e o meu carro sempre sujo- e veio a chuva.
Levou-me o Pó e a Rebecka continuou presente, um amigo não parte assim, não se vai embora só porque umas gotas lhe mandam abaixo a teia.
Apresentei-a a familiares e amigos, tive o cuidado de me ir certificando quando andava mais desaparecida se estava tudo bem.
Batia com a chave na teia e lá vinham as patinhas dela - uma ternura - ver se tinha almoço e eu sentia o consolo de saber que estava tudo bem, sentia o orgulho de a ver tão crescida, mulher dona de si mesmo.
Só que os dias passam indiferentes aos homens, como um barco que não volta ao cais.
Ontem, encontrei a Rebecka cá fora, sem teia, sem as patinhas fofas dela a mexer no abanar do vento.
Não a levei como queria à Disneyland.
Não fomos europa fora até Estocolmo para ela papar a melga nórdica e eu Papar... Ah... Ir ao Vasa que dizem que é um museu muito giro.
Fomos ao mar salgado, comer um prego à margem sul e ao russo ao pé da Tapadinha.
Ouvimos o álbum das Haim juntos parados no transito ao pé da praça de Espanha e fomos comemorar e apitar aquele golo mágico do Kelvin.




 Rebecka.... After all this time?


... Always.


Nota - Como podem ver na última imagem da minha menina, ela tinha os olhos da mãe...
Todos os seis.

2 comentários:

Pusinko disse...

É só isto que me veio à cabeça:

http://www.youtube.com/watch?v=M_ak-ESr-AA

Hathor disse...

este deve ter sido dos poucos post que eu NÃO li..... vi a primeira imagem e fechei quase me deu um treco.
tou-te com uma raiva por me teres assutado assim...