terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Stockholm I

Numa rua como muitas outras da cidade, molhados os passeios numa noite que o sol se foi cedo.
Caminhava cansado, óbviamente.
Caminhava de pescoço apertado no chachecol de lã grossa, as fivelas do casaco apertadas que o frio entrava manga acima impiedoso e ainda tinha o corpo grato do mega chocolate quente com que me tinha prendado, minutos antes.
Estou distraido pela rua quando um painel de ardósia surge diante do meu caminho.
A giz, lá escrito, o desafio - Se conseguir dizer Açai, entre o truiy3wqbtiywtysybstg é grátis.
Lembro aos leitores do blog que eles não javardam nos Ç com cedilha como nos aqui na tugalândia, é um feito quase épico pronunciarem Ribeiro, Pereira ou Inconstitucionalissimamente - exagerei no exemplo-, será um feito para eles, não se espalharem no tracinho abaixo do Ç.
Eu paro- como não parar?.
Eu abro a porta, empurrando-a para entrar.
Do balcão, os olhos viram-se para mim, das mesas idem.
- Desculpem...
Peço, no meu inglês de homem macho lusitano a soar a escocês depois de umas cervejas.
- Mas Açaí está mal escrito, falta o acento no I, uma boa noite a todos.
E vou-me, partindo para o frio de Estocolmo após um trabalho bem feito.

2 comentários:

Maria Helena disse...

Oi André!

Mudou para Estocolmo?
Abraços

André disse...

Ainda não Maria Helena, fui apenas congelar e passear uns dias.

Abraços!