sexta-feira, 30 de novembro de 2012

O Nariz

Estava desconfortável.
Tropeçou na fotografia dela e ficou.
Ficou a olhar para a imagem dela durante meio minuto, mais segundo menos segundo e nada.

Ficou à espera de uma reacção, de uma resposta qualquer e... zero, nada, vazio.
Aguardou e começou a estranhar-se, caramba, era suposto... anos depois ao rever quem durante tantos anos... mas não.

Irritou-se, irritou-se pela sua indiferênça.
Era uma criatura teimosa, o resultado foi procurar sôfrego uma outra imagem dela, quiçá um resultado diferente.

Encontrou, era uma imagem diferente... mas teve o mesmo efeito.

- Bem, e se for outra pessoa?

Remexeu e encontrou, uma outra, também distante, também anos atrás.

E novamente, irritante, a mesma não reacção, a mesma indiferença.

Procurou outra e o mesmo efeito.

Procurou uma outra e decidiu-se a mudar de conceito.

Vasculhou um álbum antigo de família, revendo quem perdeu de morte, quem perdeu porque simplesmente a família se afastou.
Melhorou, encontrou uma melancolia nos que lhe morreram, mas não era o suficiente.

Levou as mãos pelo cabelo, frustrado, quase em desespero, mas lhe remoía a sua não reacção.

Experimentou com música de fundo, experimentou com aquele livro antigo que uma delas lhe dera para talvez com o cheiro...
Talvez isso lhe acordasse o subconsciente e o levasse a reagir como um ser humano normal...

Mas também não.

Desistiu, rendeu-se e voltou ao quarto.


Tacteou pela parede, procurando trazer luz ao quarto que o fim de dia deixava vago.

Ainda não era noite, perto.

E foi então...

Distraído...

Que tropeçou na sua imagem e lhe viu o nariz...

E Sorriu, sorriu e riu e deu por si finalmente, para sua surpresa perante tão inesperada imagem dela, perante um simples detalhe no rosto que era o que o fazia reagir, emocionar-se, sentir-se vivo e um ser humano inteiro...

(mais ou menos normal)

Perante tão majestoso nariz, finalmente, uma reacção.

Oh... e que nariz!


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

A Tal

Compramos o jantar no supermercado, procuramos arroz.

Chegados à secção, pego em dois pacotes e pergunto: - "Preferes Carolino... ou Extra longo?"

A Tal, porque é a tal... rodeia-me o pescoço com os braços e sorri sedutora e insinuante enquanto diz- "André... tu sabes que eu gosto mais dele Extra Longo..."

E a Tal, porque é a tal, de seguida larga-me o pescoço e num misto de desanimo e confusão: - " o que me leva a questionar o porquê de eu estar aqui contigo..."


















E depois vai o André corredor fora atrás dela com o troli das compras a justificar...







"Eh pá, estava frio! nunca me aconteceu antes... "

"Eu juro!"

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Irmão Esquimó

Anos atrás, não estranhei quando a namorada na altura me perguntou se a sua antecessora no cargo tinha o peito maior..

Anos depois, a titular do cargo na altura perguntou-me se a sua Antecessora era mais gira...

A que a sucedeu perguntou-me se a Ex era mais Alta...

No sentido inverso, sobre os meus antecessores sem fazer perguntas apenas me referi aos mesmos como " o meu irmão esquimó".



Irmão Esquimó - Quando dois homens tiveram sexo com a mesma mulher.


terça-feira, 27 de novembro de 2012

Pensamento do dia

Algures na Suécia, estão neste momento um grupo de gajos Suecos sentados numa esplanada a ver gajas e a conversar dizendo: "fan, här finns det inget sätt för brudar..."

O que em português quer dizer:  "porra, aqui não há gajas de jeito..."




O que me revolta.


Nota/Dica da semana- há dois sítios no mundo que um homem nunca, em circunstância alguma, seja por que motivo for leva a Mulher/Namorada:

Suécia e Buenos Aires.




segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Empatia

Empatia.
Não se foi, não se perdeu, simplesmente não havia.
Fez um esforço danado e o melhor que conseguiu foi uma dor de cabeça, isso e o desconforto de que podia estar a fazer qualquer coisa melhor, como passear o cão à chuva.
Mentiu(-se), repetiu para si mesmo que tudo estava bem. Passear o Cão à chuva não lhe parecia assim tão mau, mesmo quando era demorado e ficava ali parado a ensopar.
Até o cheiro a cão molhado lhe parecia cativante.
Empatia, não havia.

Não estava a fazer sentido nenhum, mas era teimoso.
Suspirou a situação sem dar muito nas vistas, concentrado na ideia de não desviar do outro lado da mesa a atenção, por mais e melhor que a envolvente pudesse ser.
Oh... e como era melhor a envolvente...
Mas já não interessava, já tinha deixado de ser importante.
Tinha a determinação de ficar ali até ao fim, Mentiu(-se) e disse a si mesmo que era importante.
Mas não tinha nada onde se agarrar, Ela não lhe dava nada onde se segurar.
Empatia, não havia.





sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Woof Woof This MOTHERFUCKER!

Finalmente, após estes anos todo de incompreensão encontro o vídeo que explica - e de onde surgiu- a mítica expressão por mim muito usada (principalmente quando é inconveniente) que dá titulo a este post.




Façam como eu, da próxima vez que o vosso cão ladrar...

Esperem que ele termine e rematem com o belo do Motherfucker.

É um estilo de vida...


E considerem-se com sorte, que a minha outra frase clássica com coelhos é  a "deves-te peidar como um coelhinho..."

Mas era incapaz de a públicar aqui.

(é a segunda vez...)


sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Argo


Tinha as expectativas mais do que elevadas depois do grande grande "The Town".

Tinha o receio dessas mesmas expectativas influenciarem negativamente Argo, não foi minimamente o caso, Argo começa e diz-me "It's Argo, go fuck yourself" e o resto é puro prazer cinematográfico.


Simplesmente um grande filme.

Nota - 9,5 em 10.




quarta-feira, 7 de novembro de 2012

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Eu...

Anos atrás, entrei pela enésima vez na cozinha de casa de uma Ex que estava a tentar fazer o jantar para o aniversário do pai dela para gamar comida.

Ela vê-me entrar e manda-me um berro, que eu igrnoro.

Ao passar por ela apanho com o que ela tinha à mão para me bater no braço.





Era um peixe.

Foi um grande amor.


domingo, 4 de novembro de 2012

Legendary

Após um chorrilho de reclamações (e zero comentários!!) sobre o último post, que era batota não escrever nada e colocar apenas e somente a música, que não fazia sentido colocar a música sem uma justificação - como se fosse preciso...

Decido-me a publicar num gesto da mais pura imaturidade - classic André de Sousa - um video que faz as minhas delicias pela sua beleza, emotividade, simplicidade e exagero.




E pensem positivo... tinha sido tão fácil fazer piadas com o vídeo sobre os Coldplay, mas não fiz!








(Acabei de fazer...)


quinta-feira, 1 de novembro de 2012

O Segredo

Chego pelas 22h ao El Corte Inglês para uma noite de cinema.

Calhou escolhermos o Skyfall, calhou a sessão ser apenas e somente às 00h15.

Pelas 22h e 40 e qualquer coisa vou ao wc.

Estou no urinol da ponta, um urinol de distância como manda a regra de etiqueta masculina em casas de banho públicas.

Subitamente o urinol de intervalo guincha, chia, e semi-explode num jacto de água sem aviso para efectuar a higienização do mesmo.

Acabo o que tenho a fazer mais ou menos ao mesmo tempo que o gajo que estava a um urinol de distância, lavamos as mãos ao mesmo tempo e ele diz:

- Apanhei um cagaço do caraças foda-se...

Ri-mos e vai cada um à sua vida.

Pelas 00h deixo a Miss encarregue de comprar as pipocas e vou ao WC.

(para não ficar com aquela cena psicológica que devia ter ido...)

Estão todas as cabines ocupadas e só há um urinol vazio, numa ponta.

O urinol do meu lado que estava ocupado fica vazio.

Acabo, guardo o Almirante nas calças e reparo que...

Do outro lado do urinol vazio... o mesmo gajo que encontrei na casa de banho anterior...


- Eh pá... isto foi um bocado gay...- diz-me enquanto lava as mãos ao meu lado.

Eu respondo:

- É o nosso segredo...






















(no homo)