quarta-feira, 30 de junho de 2010

Legendary #10



Aparte as Holandesas, Alemãs, Argentinas e Dinamarquesas (Uruguaias também tá ok) é o meu momento preferido do mundial.
Nunca fui fã do Eboué mas... conquistou-me.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Debaixo daquele chorão

Sorria à parva, corada, irrequieta na cadeira.

- às vezes surpreendes-me...

- Sou imprevisível... tipo Ninja

- Não sejas idiota.. tu sabes que és e consegues ser querido comigo... tentas disfarçar mas no fundo...

- No fundo quero apenas e somente a tua vagina, é um meio para atingir o objectivo de...

Cruzou os braços sem o sorriso e suspirou

- És tão parvo às vezes

- Às vezes? 20 com 4 horas por dia... 6 dias por semana... que ao domingo vou pá surfada

Levantou as mãos aos céus exasperando - André, depois de hoje, digas o que disseres, podes dizer ou fazer o que tu quiseres... espera... não podes, não é um desafio não te ponhas com ideias! - Suspirou- vá lá...

- Vá lá onde? tu tiveste tanto tempo ao telefone... até tive tempo de desenhar todas as 20 posiçoes que quero fazer contigo porra... até deu tempo para colorir a merda do desenho!

- Vá lá diz-me que sim!

- Sim ao quê?

- Ao que te perguntei...

- O que me perg... Hey! não me batas!! eu não te fiz nada! nem te toquei... nem sequer te olhei nos olhos!

- Juro que me tinhas convencido que até conseguias...

- Oiça lá Madame, eu ter ido consigo ao veterinário

- Na na na não... você não foi apenas... pera... oh no, HELL NO! eu não te vou tratar por você! nem sequer penses nisso, mas adiante... Tu não foste apenas ao veterinário, tu foste tudo aquilo que eu sempre soube que eras e tentavas não ser... foste carinhoso, compreensivo e estiveste sempre sempre lá... e senti que estavas lá para mim, para seres forte quando eu estava frágil e...

- Eu fui porque gosto do teu gato, fui porque tu é que ias a conduzir e comigo o Puskas comporta-se feito macho, fui porque...

- Porque és boa pessoa e gostas de animais, e porque gostas de mim e sabias que eu precisava de ti quando o Puskas tivesse a ser operado pára de tentar ser indiferente! deixas-me tão depressa super orgulhosa de ti e rapidamente consegues deixar-me com vontade de te arrancar os olhos com a colher do café

- Por falar em ficar orgulhoso, reparaste que estavam lá quatro casais com os gatinhos e os cãozinhos e as gajas tavam todas a chorar menos tu?

- É... eu gastei as lágrimas todas a chorar à noite a pensar como é que me envolvi contigo...

- Estavas alcoolizada...

- Não estava!!! para de dizer que nos conhecemos dessa maneira! foda-se que raiva - apontou-lhe a colher do café à vista - os meus pais acreditam que te vomitei os sapatos à conta dessas tuas histórias de merda!!! qual é o teu problema de contares que até foi... romântico

- Qual era a graça disso? diz-me, qual era a piada?

- Qual é a piada de dizeres que vomitei e te tentei dar um beijo depois de vomitar?? qual é a piada de... tás-me a segurar nas mãos porquê? tás-me a fazer olhinhos de bambi porquê? o quê que tu queres agora? eu conheço-te... tu não... ah... o decote...

- Hey! tá mesmo à minha frente, assim exposto... quase como se tivesse a pedir... a implorar...

Deixou cair o peso da cabeça sobre as mãos em desalento. Sentia-se cansada, frustrada e com tendências homicidas. Não lhe bastava ter dito ao seu Pai quando o tinha levado a jantar a casa que o plano era aos 35 anos mandar vir uma russa pela internet que são menos chatas e complicadas, não lhe bastava o Pai ter concordado com a ideia e dizer que se soubesse tinha feito o mesmo, não lhe bastava ter dito à sua melhor amiga - porquê que ele namora contigo?? porque és uma pega! - e ter piorado quando ela lhe respondeu- ele ama-me ok? ele já me disse que gostava de ter uma filha comigo que fosse metade de cada um de nós - ele ter desenhado aquele sorriso cabrão (que a punha quente e o filha da mãe sabia) e ter finalizado o dialogo com - ele quer uma filha metade pega???
Não lhe bastava ter respondido quando lhe disse que estava preocupada com a bolsa (de estudo) ele ter respondido- estás preocupada que não esteja a condizer com os sapatos??
Não lhe...

- Basta! já chega.

Devagar e tensa, apontou-lhe o indicador até o sorriso filha da mãe desaparecer do rosto dele.
Remexeu o cabelo violentamente até peneirar do corpo a vontade de lhe bater com o salto da bota na cara.

- Já tás mais calma? já podemos falar como pessoas civilizadas sem ...

- Ah pera, agora sou eu que não... Não! não vais inverter isto... eu fiz-te uma pergunta simples e directa e tu vais-me responder!

- Tu perguntaste-me se podias fazer uma pergunta, e eu respondi-te - acabaste de fazer!!

Suspirou - posso-te fazer outra pergunta?

- Acabaste de fazer outra vez!!!! heeeey, espera! não te vás embora... ainda não paguei... espera!

Levantou-se e não a deixou partir, segurou-a firme pelo braço e lançou-lhe um determinado- PÁRA!
Rodou-a até ficar de frente para si. Desviou-lhe o cabelo do rosto e forçou-a a olhar para si. Descruzou-lhe os braços e rodeou-lhe as ancas abraçando-a, puxando-a para perto de si.

- Deixa-me...

- Agora fizeste-me lembrar a primeira vez que te afinfei um beijo, ali perto da tua casa, debaixo daquele chorão... meio perdida na folhagem... rodei-te a orelha direita com o teu cabelo... aproximei-me assim de ti - aproximou-se - devagar... a medo... fiz-te isto assim... e depois assim - beijou-a três vezes - e depois... depois comecei a ganhar vontade e medo...

- Medo? já me estavas a beijar... medo do quê? vontade de?

- De deslizar as mãos pelas costas até à segunda parte favorita do teu corpo...

Arqueou a sobrancelha direita - segunda parte favorita? sempre pensei que era a tua parte de eleição... alias chega a ser obsessivo a tua paranóia com o meu rabo... qual é a parte favorita do meu corpo afinal??

- A tua pele...

- A minha pele?

- Óbvio! se não tivesses pele eras nojenta...

sábado, 26 de junho de 2010

Legendary #8



Após o jogo, em resposta à pergunta - teve que servir para não perder, para continuar em jogo por 65 (!!!!!) vezes, como é que se aguenta a pressão de uma situação dessas- Nicolas Mahut responde - não pensava nisso, pensava apenas no ponto que estava a jogar no momento, um ponto de cada vez.

O último e épico Set ficou-se por 70 - 68 para John Isner, o jogo durou 11 horas e cinco minutos.



quarta-feira, 23 de junho de 2010

20 - 25%


Visionava-se por recomendação aqui do vosso venerado e amado... ah...
Tolerado? medicado? alcoolizado? desnudado (sim enquanto escrevo o que estão a ler agora, vá... admitam... dá-vos um certo formigueiro num sitio bom )

(adiante André, Adiante...)

Visionava-se um episódio da série - The Boondocks, 3 gajos, 4 gajas...
Surge o Dialogo:

- All women are not hoes... We're talking 20-25% tops!

3 gajos riram-se, nenhum deles teve sexo nessa noite

Nota - Nenhuma delas desmentiu os números...

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Vivo a vida num Afã...



Sim, estou de volta!!!!

Eu sei eu sei, tanto tempo em ausência, tanto e demasiado tempo que deixou todos os meus seguidores em angustiada carência...

Nada que meia garrafa de vodka e 2 supositórios não resolvam...

Aconteceu-me começar e acabar o God of War III, aconteceu à sra dona minha mãe entrar no meu quarto e deparar-se comigo em frenesim gritando - toma puta toma, memo no pescoço!!! anda cá caralho, paaaaneeeeleeiiro!!! isso é batota foda-se não pode!- enquanto eu sodomizava 2 minotauros, 1 medusa, 2 ciclopes e uns quantos soldados mais tenrinhos para fazer numero e encher o ecrã.

Já me apanhou a fazer coisas piores...

(não, não me refiro a apanhar-me em acção a solo, refiro-me a vomitar no prato do almoço a ressaca da noite anterior por exemplo...)

Mas André - perguntam-me vocês - só o jogo não justifica tão prolongada ausência...

Eu sei que não justifica, deixem-me respirar! isto é suposto ser uma relação de confiança... querem-me ler as mensagens no telemóvel?? querem saber por onde é que andei e a minha password do mail e do facebook? querem que bloqueie todas as amigas e o Fábio no Msn? querem que passe a usar aliança e a camisa aos quadrados que me deram no natal que eu nunca usei? tenho que justificar tudo o que faço e digo? VOCÊS ESTÃO A SUFOCAR-ME!!

(e não de um modo bom tipo asfixia auto erótica...)

(eu não tou a dizer que tenha experimentado ou goste...)

(... por enquanto...)

Onde ia?

Sim, não foi apenas o God of War que me afastou de vós...

Voltei à surfada, para mal dos meus pecados e pulmões estive demasiado tempo ser molhar os pézinhos - ir à beira mar lavar as mãozinhas sem molhar o Panamá vermelho não conta como ir ao mar.

Adiante...

Estou cansado, cansado de remar e vencer, por cima ou por baixo as ondas até passar a rebentação e conseguir respirar um pouco, apoiar o corpo dorido na prancha e controlar a respiração.
Sinto-me vivo, sinto-me velho e a precisar de uma massagem...
com final feliz...
E trago à mente as duas ondas que já apanhei orgulhoso...
Mesmo que me tenha espalhado em ambas e engolido metade da onda num desses épicos malhos... Senti-me serenamente feliz.

Aguardo o ondular ao longe, tento ler se é uma esquerda ou uma direita, tento sentir que sou parte do que me rodeia, que sou um tubaralho (tubarão do caralho para quem é novo no blog) de fato térmico...

(não, ia dizer que era um golfinho...)

Nesse instante que saboreio o isolamento térmico do fato vejo o mar cavar mais longe do que todas as ondas que a antecederam o começo de algo que leva a pensar- ooh shit!
Eleva-se monstruosa uma onda filha da puta, um vagalhão...

... ou um vagaralho - não vou explicar duas vezes!!!

Viro-me para remar mas antes solto um peido, o ar sobe-me pelas costas preso no isolamento do fato e sai-me pelo pescoço...

Desconcentro-me a rir à gargalhada, sou apanhado pela onda sou enrolado e sodomizado até dar à costa, maltratado, meio afogado...

Mas sobrevivi para contar a todos a história.

(volto a repetir que a culpa é tua! se eu com o meu passado de tiradas inconvenientes em situações comprometedoras e sem nunca ter conhecido os teus pais, se chego ao pé de ti e a primeira coisa que me dizes é - ainda bem que chegaste, conta aquilo que falamos ontem - referindo-te à história da surfada, não podes culpar-me de te responder - conto o quê? que gostas que te trate por você e te chame porca enquanto te dou palmadas no rabo... )

( ao qual me respondes - Pai, Mãe... este é o André que vos falei... apontando para o casal de pé ao meu lado )

(você é uma porca...ahahaha)

Adiante André... Adiante

Para além do God of War começa-me o mundial em África...

(aproveito para partilhar o meu nome africano - Kanku Mulekelaueke)

Estou naturalmente pela Alemanha, pela Holanda e gosto muito da Dinamarca...


( ...a euforia instalou-se ao saberem que o autor deste blog estará em Amsterdão em Setembro...)


E quando o mundo inteiro descobre o prazer de abocanhar uma vuvuzela, eu respondo que vuvuzela é fraquinho, afinal há coisa de 4 anos descobri o prazer do Berrante durante a minha Tour pela América do sul, tenho um Berrante grande e torcido e não há quem no meu quarto entre que não me peça para o segurar nas mãos e por a boca.


( Dizem que o berrante de um homem é reflexo do seu dono...)

( É óbvio que sei tocar no Berrante, aprendi com a Mariana Berrantona- não tou a gozar, era a alcunha dela, que era uma moça muito prendada e sabia trabalhar o Berrante com a boca como ninguém.)

E tudo isto me roubou tempo.

Roubou-me tempo o trabalho no atelier, trabalho que parei um dia para mandar mensagens às amigas a dizer- vou comprar um telemóvel com ecrã táctil para te escrever mensagens porcas com o pénis!!!

(não contava passar o resto da semana a receber mensagens a perguntar se já tinha o telemóvel novo...)

E consegui ir ao cinema uma vez com a Joana, a mesma que insinuei por aqui que me batia...

Eu atiro-lhe um olá!

Ela devolve-me - voltas a dizer que te bati eu juro que te dou um murro...

Continuando

Eu aqui na grande urbe, vivo a vida num afã.
Dou por mim sem espaço temporal para podar a juba que se despenteia em ruivos caracois sobre os ombros.
Não há tempo para barbear a tromba, para puxar o autoclismo.

Não há tempo para coisas triviais.

Deito-me sobre a cama e não abro os lençóis, tapo-me com a bela da manta que confisquei à transportadora aérea que me trouxe da Alemanha - e também lhes fiquei com um baralho de cartas já agora.
Concluo que não faço a cama há uma semana...

Sou vitima de dias de 4 com 20 horas - referência a Joss Stone, pausa de cinco minutos para reflexão sobre a moça - e não dias de 56 horas que me permitam algum desafogo para quando urino ter tempo de sacudir pelo menos umas três vezes...

Digo apenas três porque sacudir quatro vezes já é considerado punh...

...

(suspiro)


( depois de cercarem o autor do blog, os seguidores de A Um Porto Azul iniciaram um acesso debate sobre o Descontrutivismo Alemão do Movimento Neo-Expressionista dos Finais do Século XIX)


Eu hei-de voltar a escrever com a assiduidade com que vos conquistei...
Fantásticos textos, deliciosas prosas, para vós rebuçados que vos atraíram para o interior da minha carrinha sem janelas...



( a todos os seguidores deste blog, um grande bem haja)

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Tu é que perguntaste ... III ( façam-me parar!!)

Soltou o cabelo com os dedos, sorriu e envolveu-lhe as mãos com as suas inclinando-se sobre a mesa

- Pergunta-me que filme é que fui ver ontem...

- Não, não pergunto

- Não sejas assim! pergunta!... vá lá, pergunta e não sejas mau...

- Porquê que queres te pergunte que filme foste ver?

- Porque sei que não foste ver este e não corro o risco de ser vitima de uma piada física da tua parte

Inclinou-se para trás na cadeira em triunfo, apoiou o cotovelo na mesa e aguardou entrelaçando os cabelo entre os dedos a pergunta que lhe pedira

- Que filme foste ver ontem que dizes tu que eu não fui ver?

- Sex & the City 2!

Sentiu-se vitoriosa nos 2 segundos de silêncio, no rosto que se manteve sério sem o sorriso canalha de quem lhe ia afalfar o peito ou congeminava um mórbido e provavelmente badalhoco comentário de bater com a mão na testa

-Não, não vi esse filme, soube que não aparecia a minha personagem favorita da série preferi não ir ver...

Sorriu-lhe, sorriu e mordeu ligeiramente o lábio ao vê-la hesitar...

- Qual é a tua personagem favorita?

Perguntou e arrependeu-se ao reconhecer-lhe o sorriso de triunfo que lhe fazia sempre que a levava para uma armadilha

- O irmão do meio do Big

- Irmão do meio do Big?

- Sim... o Medium!!!!!


Nota- a culpa é da Joana M. que refilou que eu andava a escrever pouco... qualquer reclamação é com ela, eu sou apenas uma vitima ...

ela bate-me...

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Ooh Wee!

Sento-me com o meu Pai no muro, os dois em silêncio cúmplice e traquina a papar um Fizz limão.
Era uma questão pessoal, fruto de uma cruzada sem sucesso na procura de um exemplar desse mesmo gelado por tudo o que era café...

... atiçado pela filha mais velha dos meus pais, que me fazia a atenção, o gesto simpático (a cabra) de me enviar uma mensagem todos os dias à hora do almoço a dizer que estava na esplanada a comer um Fizz enquanto eu estava a trabalhar...

o meu Pai rompe o silêncio- o Drogba lesionou-se...

- Eu vi...

e concentramos-nos novamente no gelado, que rapidamente desaparece - a ideia era comer o gelado, não estávamos ali para fazer amigos.

Aceleramos pelas avenidas de vidros abertos, está um calor à-lá sexo na tenda ao sol durante um festival de verão... nem se respira!

(podia ser sexo na tenda à noite com a luz da lanterna ligada... para quem goste de sombras chinesas é hilariante)

E o vento sabe bem despenteando-me as madeixas loiras nos meus longos caracóis...

Despenteando-me ligeiramente a franja.
Aumento o volume do rádio e riu-me - oooooooh weee

e fico em silêncio até voltar o refrão... e em conjunto - I'm hangin' wit the ballers, yeah, or my nigga Ghost /I can tell you what they say haters, if you wanna know... they say- oooooooh weeeeeeeeeee

E dou por mim a cantar em coro com o meu pai -ooooooooh weeeeee

E chegamos ao destino, e fazemos a porcaria do levantamento, três apartamentos por piso, sete pisos e desenvolve-se em mim aquela larica de macho que nos leva a partilhar a ideia que já se mordia mais qualquer coisa, se temos que fazer o levantamento da obra ali ao pé da João Crisostomo... vai-se comer ao Picoas Plaza...

(porque tem um esplanadas e é fresco e...

e...

e tem gajas porra, havia de ser porquê??)

Ou porque nunca tinha reparado, ou porque é recente - vou mais para nunca o ter reparado - encontro à entrada do Fórum picoas a florista - com flores m'enganas

- Hey, quando tiver que oferecer flores a uma gaja... vai daqui, mesmo que não tenha feito nada...

... para a deixar a pensar.

(já tou a chegar ao que quero falar neste texto, calma!)

E pago enquanto o meu Pai se dirige para uma mesa - aquela ali, senta-te naquela, eu fico virado para o outro lado!!

Ele estranha a precisão geográfica da minha escolha, vira-se, vê a loira e sorri, sentou-se como indiquei- porque é um gajo casado e só quer o melhor para o filho.

Sento-me, tiro os Aviator e coloco os óculos à civil e olho para a loira... oh não... FAIL!

- Sabes, isto de ainda não ter graduado os Ray Ban é uma "faca de dois legumes", por um lado posso olhar para as gajas sem perceberem que me estou a rebarbar... por outro lado... eu não vejo um cara... hey, isso é o público?

Arranco o jornal das mãos do meu pai, nunca se pede o jornal, aguarda-se que a outra pessoa o levante para ler, arrebata-se a posse do mesmo e oferece-se um desinteressante suplemento para compensar.

E vejo-a de preto, fazendo o moonwalk entre as mesas...

Sim, era isso mesmo que ela estava a fazer...

...

ok... ela não estava a fazer o moonwalk mas era... digamos...smooth o andar suave e elegante com que a vi surgir, caminhando na minha direcção.
Vestia-se de preto, vestido e leggings pretas, cabelo preto, oculos escuros pretos e uma pele branca a precisar de bronzear, a precisar de um pouco.. um pouco o caraças, a precisar de muita saliva do André para a hidratar nos dias de intenso calor...

Ou de mim para a aquecer nas frias noites de inverno...

Aninhava-me com uma mantinha com ela e... tapava-a toda!

(é agora que vou à parte que interessa)

E ela passa ali tão perto de mim, ela desvia para mim a atenção - eu estava com dois botões de decote abertos na minha fantástica camisa cinza escura...

Adiante...

Ela fita-me, mordisca o lábio - ou então eram gases - e sorri

Eu fico-me a meio de uma frase, desconcentrado.... re-concentrado naquela Deusa-mulher durante todo o percurso que por mim passa até a ver desaparecer - e digamos que lhe ficava muito bem o vestido preto de costas, ali na zona onde terminam as pernas antes de começarem as costas... justinho, apertado... suado... e eu a lambe...

E viro-me para o meu pai e ele devolve-me um cumplice sorriso.

- OOOOOOH WEEEE!!!! viste a mãe dos teus netos???

- Ahah, tu não tinhas mãos para aquilo

- Não preciso de ter mãos, preciso é de ter Pén... hey! tu é que começaste! não precisas de te ir embora!!!

Levanto-me atrás do meu pai, apanho-lhe o passo e vejo-a novamente.

Caminha novamente para mim mas no sentido oposto do meu, caminha apressada mas abranda ao ver-me e sorri para mim outra vez, eu penso- rameira! oferecida!... ganda pega! os teus pais não te...

Eu inspiro-a com força quando passa a 10 cm do meu ombro direito - ela passou mais perto de mim numa praça vazia que o meu pai que caminhava a meu lado, ela quer-me eu sei!, apetece-me raspar-lhe com o mindinho na mão e ter para além da imagem e cheiro o toque dela para me recordar, para não a esquecer, para a parar e fazê-la virar-se para mim...

para me dar um gancho de esquerda no queixo e chamar-me tarado...

(o que me ia por...

quente...)

Calhou o meu pai interessar-se por um sofá numa montra, calhou eu vê-la pelo reflexo da mesma voltar a mesa de onde surgira pela primeira vez, recolher de uma amiga que ainda por lá se encontrava a mala, calhou vê-la apressada retomar o mesmo flutuar sexy e lascivo - hey! o texto é meu! eu digo o que quiser sobre o andar dela porra!

E voltamos ao carro, e abro a porta, levanto para o meu pai o rosto primeiro e para o prédio adjacente ao Picoas Plaza

- Olha, a tua amiga trabalha no Público - diz-me o meu pai a rir-se - vais lá subornar o porteiro com dvd's do jornal da concorrência e descobres o nome dela...

- Eu vou é comprar o público amanhã e vou pensar nela, vou pensar nela com força quando estiver a comprar o jornal... e essa energia vai passar para o dinheiro e esse dinheiro vai para o jornal que lhe paga o ordenado, e ela com esse ordenado um dia, quando estiver menstruada vai comprar tampões, e a minha energia que fiz ao pensar nela ao comprar o jornal vai passar para o tampão que ela vai usar e eu vou estar por transmissão dentro da vagina dela...

Ooh.. Wee!!

Nota- O paragrafo final surgiu para a Jossy Baby - Jossy para mim, para vocês Joss Stone... é uma questão de intimidade e confiança...

Peço desculpa pelo texto, isto às vezes acontece...

Fica a Música... Ooh Wee