quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Marillon Cotillard

Nos sonhos sabemos que as coisas e as pessoas são, mesmo quando a imagem não é igual ou a mesma da realidade.

Sonho que estou a ter um sexo badalhoco e suado com a namorada, daquele que os vizinhos sentem uma vontade incontrolável de fumar uma grila quando acabo.

Sexo do bom.

Subitamente, a meio do sonho... a namorada é a Marillon Cotillard, rosto e corpo... mas é a namorada também, logo... não estou a sonhar com outra nem a trair ninguém porque sei que continua a ser a namorada...

... ao mesmo tempo que é a Marillon Cotilard!!!!!






O que é o primeiro win.

Depois acordo e penso - André... se A é igual a B e B é igual a C...

Se a Marillon anda a fazer sexo com o Batman e eu fiz sexo com a Marillon...

Eu sou o Batman!!!





Ou então...







...a namorada traiu-me com o Batman...


Nota - este é o texto que merecem... não o texto que precisam...




segunda-feira, 27 de agosto de 2012

25 euros!!!

No meu terceiro ano de faculdade fui prendado com uma turma que consistia em 50 alunos, sendo dentro deste número 40 mulheres para 10 homens e acho que estou a exagerar nos homens...

Fui também prendado com a sorte e privilégio de fazer minha namorada a mais bela e formosa de todas as 40 mulheres desta turma, quiçá da faculdade...

(não me fodam, ela sabe onde moro, trabalho, a matricula do carro e cheira-me que por causa dos exames da faculdade que fazíamos juntos ela ainda se deve lembrar do meu número de identidade)

(E eu não quero acabar esta história como em todas as outras... a apanhar)

adiante...

Dos 10 gajos na turma, eu namorava com a miss J., um outro gajo também namorava com uma gaja da turma mas eram um casal pouco ou nada sociável, um outro gajo aparecia lá quando era ano bissexto - era um gajo 5 estrelas, quando encontrava a sala...

O resto dos homens- se assim lhes podemos chamar- ficavam assustados o tempo todo num canto da sala e só saiam de lá quando eu chegava.

O que é perfeitamente natural... 40 gajas a mestruar ao mesmo tempo...

O horror...

Um desses gajos chamava-se Zé, era tímido e assustadiço.

Numa festa da faculdade eu digo para a Miss J. que as gajas da nossa turma eram todas alucinadas, taradas, só pensavam em pénis - eu estava meio ébrio e ela recusava-se a acreditar que o mau feitio das amigas era falta de homem -e acabamos por fazer uma aposta depois de ela me bater, mandar à merda e exigir que provasse a minha afirmação.

Apostamos 5 euros por cada gaja que eu provasse.

Agarro nela, aproxego-me com ela de um grupo de gajas da nossa turma ao pé de uma barraca de cerveja e digo que depois de um jogo de futebol com o pessoal da turma, vi o Pénis do Zé que era qualquer coisa para o gigantesco.

Sentei-me com a Miss a uns metros do Zé e digo- por cada gaja que meta conversa com o Zé até final da noite... já sabes, 5 euros.

Passados 35 minutos...


...A conclusão está no titulo do texto.




quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Um dia

-É melhor um texto que não gosto do que texto nenhum para quem gosta de me ler-


-


Sentado, fazia tempo para o cinema aguardando que o amigo voltasse com os cafés. Estava entretido com o telemóvel quando sobre a sua mesa viu deslizar suave a ponta do dedo indicador, um dedo de mulher.

Reconheceu-lhe o anel no polegar, levantou o rosto e viu-a sentar-se à sua frente, do outro lado da mesa.

- Eu vi-te, faz tempo que não passavas ali... Perdeste-me o medo?

- Nunca te tive receio...

- Tretas! deixa-te de merdas, não comigo.

- O que queres tu de mim?

- Bater-te, bater-te com força, fazer-te doer. Quero-te magoar, quero-te magoar muito.

- O que te impede... porquê?

- Porque isto sozinha assim não tem graça, mas sou justa, porquê descarregar em outrem e não a quem de direito? afinal, estás mesmo aqui à minha frente, é só uma questão de não te mexeres muito...

- Força, vá, é o que queres, é o que precisas?

- Não, sinceramente... não, mas ia ajudar um pouco... acho eu.

- Achas? decide, aproveita, estou aqui... tens-me aqui à tua disposição mulher, atira-te de unhas se quiseres

- Dava-te tanto jeito... mas não, não te vou dar esse gozo de teres algo para me odiar, esse sentimento é um exclusivo meu nesta relação...

- É o que tu quiseres - apoiou as mãos na mesa fazendo intenção de se levantar, gesto que ela interrompeu segurando-o colocando suave sobre a dele a sua mão

- Senta, espera...

- Pelo quê?

- Pelo dia em que eu perceba que tu és uma ideia que criei para mim de nós, que és tudo o que sinto... sentiria... olha foda-se, pretérito do condicional ou do imperfeito, uma merda qualquer, não sei... sei o que eu sinto e eu vou sentir por ti, o que tu és aqui dentro de mim e eu não te consigo tirar, não te consigo arrancar... e um dia...

... Vou saber distinguir a tua pessoa da tua recordação.

Hesitou, fitou-a.

Ela sorria.

- E nesse dia, o que acontece?

Sentiu a mão dela fechar, a apertar em redor da sua, viu-a desviar dos seus olhos o olhar

- Adeus, não admito que me vejas a chorar, adeus e da próxima vez... se houver próxima vez...

Levantou-se, contornou a mesa,

- Não fales assim... porquê que...

- Da próxima vez...

Desviou o cabelo para o ombro, baixou-se, aproximando-se do rosto dele o seu.

Tocou-lhe devagar na boca com os lábios, respirou e aprofundou a ideia uns instantes, o suficiente para o saborear.

- Da próxima vez vê se paras o carro e me vais dar um beijo...

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Ela...

Pede, exige, esperneia, implora por uma massagem dizendo até que teve o cuidado de comprar um óleo qualquer porque não quer que me falte nada...

Eu respondo que se fosse uma emergência pensava no assunto...

Ela tira a camisola, o sutiã, atira-se para cima da cama, borrifa às costas com o óleo e grita: aaaah... Ajuda-me, o óleo... Tira! Tira!

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

"and I had to remain here..."

Não estava a ser uma decisão fácil.
Ficava meio parado em pequenas coisas, recordações.
Não sabia bem responder porquê que gostava tanto dela, mas era também por isso que gostava dela tanto assim.
O problema era confiança, que se perdeu.
Voltava para o quarto, para a cama onde ela dormia, deitava-se ao seu lado e seguia tudo como até então.
Não lhe dizia que descobrira, não lhe dizia nada e ficava tudo para si, no seu silêncio.
Ou então... era só vencer a distância daquele longo corredor escuro e partir.

Sabia, sentia... sentia que nunca a iria perdoar.

Arrastou um pé e depois o outro, silencioso entrou no quarto e viu-lhe o corpo sobre a cama.

Devagar, deitou-se ao seu lado e adormeceu.





Acordou,  era de dia, estava sozinho na cama.

Olhou à sua volta e encontrou um quarto vazio de roupa que não a sua, vazio de tudo o que não fosse seu.

Ela fora-se embora.


 -



 Maaaas...

Como eu sou eu e não sou capaz de não gozar nem com o que escrevo...








Oooooooh I... badabadubeda sheeeee goooone ooooohhh III  aaaasuuuu shheee gone!

Entre o apocalipse zombie, serem do fifica e irem jogar com o Porto em casa, nadarem com tubarões irritadiços, ver meio episódio da clínica privada... ou ouvirem-me a cantar esta música ao vivo e a cores- com som stereo...

Escolham qualquer uma das opções que não a última que é menos doloroso...

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Queres o jornal para fazeres o Sudoku?

-Boa pergunta, isso lembra-me uma gaja... A história com esta gaja é bastante fácil meu amigo- disse antes de dar um trago na imperial e recusar o jornal que lhe estiquei - a gaja era feia pa caralho, isso e também era do fifica.

- Começou bem, mas porquê que tu... eu só te perguntei se...

- Porque eu não discrimino, gajas feias também têm o direito a amar... ou a  pelo menos um café comigo quando tou solteiro... só não pode é ser do bloco de esquerda, esses gajos nem deviam poder procriar! quer dizer, a não ser que fosse uma gaja meeeesmo muito boa... o que não era o caso desta, ainda por cima era suburbana...

- No meio disso tudo, acho que tentaste afirmar que estavas a ser um gajo bondoso com a... diz-me que não era da margem sul...

- Nope, tranquilo, desde a Marta que gajas é do Tejo para cima ou do Sado para baixo, acho que aquela zona entre Troia e Lisboa consegue ter uma maior probabilidade que Tóquio de nidificar o Godzilla! mas adiante, eu, generoso, numa de amizade e já que tinha tempo livre, como já me tinha falado de irmos tomar um café umas trinta vezes antes e eu fui simpático e pensei- porque não? e a gaja responde-me que não, a perguntar se eu ficava triste e abatido!!e... e...

- E?

- E... é por isso que, e respondendo à tua pergunta inicial quando me ofereceste o jornal... eu não faço Sudoku.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Sms's do André

"tu só vais descobrir um homem a sério no dia em que eu te encostar a uma parede e te sussurrar ao ouvido que te vou mostrar um truque que aprendi dos escuteiros... e depois fizer o Amor contigo ao som da Moves like jagger dos Maroon 5...

...Isso ou acender uma fogueira 5 estrelas"

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

The Dark Knight Rises

Querem um Spoiler? é awesome...



Não, não é o Dark Knight, é um registo mais semelhante ao primeiro filme da trilogia, é um filme com falhas que se tornam situações menores perante a história e eu estaria a discutir detalhes para nada, já que tenho que avaliar este filme como a conclusão de Três filmes, ou seja, ligado aos dois que o antecedem.

Andei para a frente e para trás na nota a dar ao filme, pegando em detalhes que estavam menos bem conseguidos para puxar a nota para baixo para não dar um 9.9 só porque isto acontece:



E é bom quando acontece...

Não, não estou a falar da mota porra, tou mesmo a falar disto:



Afinal, por algum motivo o "Dark Knight Rises..."


Yep, acabei de meter duas fotos do cu da Catwoman só porque posso

E porque é bom...

É bom todas as vezes...

Adiante...



Nota - 9,4/10