quarta-feira, 16 de junho de 2010

Vivo a vida num Afã...



Sim, estou de volta!!!!

Eu sei eu sei, tanto tempo em ausência, tanto e demasiado tempo que deixou todos os meus seguidores em angustiada carência...

Nada que meia garrafa de vodka e 2 supositórios não resolvam...

Aconteceu-me começar e acabar o God of War III, aconteceu à sra dona minha mãe entrar no meu quarto e deparar-se comigo em frenesim gritando - toma puta toma, memo no pescoço!!! anda cá caralho, paaaaneeeeleeiiro!!! isso é batota foda-se não pode!- enquanto eu sodomizava 2 minotauros, 1 medusa, 2 ciclopes e uns quantos soldados mais tenrinhos para fazer numero e encher o ecrã.

Já me apanhou a fazer coisas piores...

(não, não me refiro a apanhar-me em acção a solo, refiro-me a vomitar no prato do almoço a ressaca da noite anterior por exemplo...)

Mas André - perguntam-me vocês - só o jogo não justifica tão prolongada ausência...

Eu sei que não justifica, deixem-me respirar! isto é suposto ser uma relação de confiança... querem-me ler as mensagens no telemóvel?? querem saber por onde é que andei e a minha password do mail e do facebook? querem que bloqueie todas as amigas e o Fábio no Msn? querem que passe a usar aliança e a camisa aos quadrados que me deram no natal que eu nunca usei? tenho que justificar tudo o que faço e digo? VOCÊS ESTÃO A SUFOCAR-ME!!

(e não de um modo bom tipo asfixia auto erótica...)

(eu não tou a dizer que tenha experimentado ou goste...)

(... por enquanto...)

Onde ia?

Sim, não foi apenas o God of War que me afastou de vós...

Voltei à surfada, para mal dos meus pecados e pulmões estive demasiado tempo ser molhar os pézinhos - ir à beira mar lavar as mãozinhas sem molhar o Panamá vermelho não conta como ir ao mar.

Adiante...

Estou cansado, cansado de remar e vencer, por cima ou por baixo as ondas até passar a rebentação e conseguir respirar um pouco, apoiar o corpo dorido na prancha e controlar a respiração.
Sinto-me vivo, sinto-me velho e a precisar de uma massagem...
com final feliz...
E trago à mente as duas ondas que já apanhei orgulhoso...
Mesmo que me tenha espalhado em ambas e engolido metade da onda num desses épicos malhos... Senti-me serenamente feliz.

Aguardo o ondular ao longe, tento ler se é uma esquerda ou uma direita, tento sentir que sou parte do que me rodeia, que sou um tubaralho (tubarão do caralho para quem é novo no blog) de fato térmico...

(não, ia dizer que era um golfinho...)

Nesse instante que saboreio o isolamento térmico do fato vejo o mar cavar mais longe do que todas as ondas que a antecederam o começo de algo que leva a pensar- ooh shit!
Eleva-se monstruosa uma onda filha da puta, um vagalhão...

... ou um vagaralho - não vou explicar duas vezes!!!

Viro-me para remar mas antes solto um peido, o ar sobe-me pelas costas preso no isolamento do fato e sai-me pelo pescoço...

Desconcentro-me a rir à gargalhada, sou apanhado pela onda sou enrolado e sodomizado até dar à costa, maltratado, meio afogado...

Mas sobrevivi para contar a todos a história.

(volto a repetir que a culpa é tua! se eu com o meu passado de tiradas inconvenientes em situações comprometedoras e sem nunca ter conhecido os teus pais, se chego ao pé de ti e a primeira coisa que me dizes é - ainda bem que chegaste, conta aquilo que falamos ontem - referindo-te à história da surfada, não podes culpar-me de te responder - conto o quê? que gostas que te trate por você e te chame porca enquanto te dou palmadas no rabo... )

( ao qual me respondes - Pai, Mãe... este é o André que vos falei... apontando para o casal de pé ao meu lado )

(você é uma porca...ahahaha)

Adiante André... Adiante

Para além do God of War começa-me o mundial em África...

(aproveito para partilhar o meu nome africano - Kanku Mulekelaueke)

Estou naturalmente pela Alemanha, pela Holanda e gosto muito da Dinamarca...


( ...a euforia instalou-se ao saberem que o autor deste blog estará em Amsterdão em Setembro...)


E quando o mundo inteiro descobre o prazer de abocanhar uma vuvuzela, eu respondo que vuvuzela é fraquinho, afinal há coisa de 4 anos descobri o prazer do Berrante durante a minha Tour pela América do sul, tenho um Berrante grande e torcido e não há quem no meu quarto entre que não me peça para o segurar nas mãos e por a boca.


( Dizem que o berrante de um homem é reflexo do seu dono...)

( É óbvio que sei tocar no Berrante, aprendi com a Mariana Berrantona- não tou a gozar, era a alcunha dela, que era uma moça muito prendada e sabia trabalhar o Berrante com a boca como ninguém.)

E tudo isto me roubou tempo.

Roubou-me tempo o trabalho no atelier, trabalho que parei um dia para mandar mensagens às amigas a dizer- vou comprar um telemóvel com ecrã táctil para te escrever mensagens porcas com o pénis!!!

(não contava passar o resto da semana a receber mensagens a perguntar se já tinha o telemóvel novo...)

E consegui ir ao cinema uma vez com a Joana, a mesma que insinuei por aqui que me batia...

Eu atiro-lhe um olá!

Ela devolve-me - voltas a dizer que te bati eu juro que te dou um murro...

Continuando

Eu aqui na grande urbe, vivo a vida num afã.
Dou por mim sem espaço temporal para podar a juba que se despenteia em ruivos caracois sobre os ombros.
Não há tempo para barbear a tromba, para puxar o autoclismo.

Não há tempo para coisas triviais.

Deito-me sobre a cama e não abro os lençóis, tapo-me com a bela da manta que confisquei à transportadora aérea que me trouxe da Alemanha - e também lhes fiquei com um baralho de cartas já agora.
Concluo que não faço a cama há uma semana...

Sou vitima de dias de 4 com 20 horas - referência a Joss Stone, pausa de cinco minutos para reflexão sobre a moça - e não dias de 56 horas que me permitam algum desafogo para quando urino ter tempo de sacudir pelo menos umas três vezes...

Digo apenas três porque sacudir quatro vezes já é considerado punh...

...

(suspiro)


( depois de cercarem o autor do blog, os seguidores de A Um Porto Azul iniciaram um acesso debate sobre o Descontrutivismo Alemão do Movimento Neo-Expressionista dos Finais do Século XIX)


Eu hei-de voltar a escrever com a assiduidade com que vos conquistei...
Fantásticos textos, deliciosas prosas, para vós rebuçados que vos atraíram para o interior da minha carrinha sem janelas...



( a todos os seguidores deste blog, um grande bem haja)

Um comentário:

Joana disse...

Bem, definitivamente estavas inspirado neste dia! Ou inspirado não deva ser bem a palavra...?! :)
Bato-te, bato-te..
ahahahah