terça-feira, 9 de julho de 2013

O Retrato de Dorian Gray - Oscar Wilde


"...Gosto dos homens que têm um futuro e das mulheres que têm um passado..."


Um clássico. História recontada tantas vezes que presumi ser fácil e deliciosa a leitura e...
Estava redondamente enganado.
O Retrato de Dorian Gray é inveja, inveja da qualidade da escrita e talento que levam a inúmeras vezes o leitor a fazer uma pausa para absorver a dimensão e o prazer da frase que se acabou de ler.

"...os maridos das mulheres bonitas pertencem às classes criminosas..."

" ... um homem pode ser feliz com qualquer mulher... enquanto não a amar..."

E no entanto...

É uma história que falha na sua premissa inicial, tem um erro clamoroso dentro do seu próprio conceito que não destrói a qualidade do texto mas arrasa qualquer tipo de qualidade na narrativa.

Passo a explicar:

A ideia que nos é apresentada é o definhar, o lento corroer da alma de Dorian Gray e o reflexo disso no quadro enquanto este mantêm toda a sua exterior beleza intacta.

O primeiro gesto de Dorian Gray que leva ao arranque da narrativa já é demasiado negro e considero a sua alma tão condenada que não há espaço para a evolução negra que é suposto acontecer.
O quadro devia aparecer horrendo logo após esse instante e não somente com uma ligeira nuance.

E com isto não há a sensação de perda, de acompanharmos a personagem no seu descalabro, há apenas um monstro e a tentativa de nos fazerem crer que os actos que sucedem aos primeiros são piores- que sinceramente, não são, são igualmente maus.

Falhando isto, como posso achar a história boa? a soma de peças de enorme qualidade não obriga a que no seu todo e em conjunto funcionem, o que infelizmente é o triste caso deste livro.

Veredicto final - Não Recomendo.

(com muita muita muita pena minha)


"- Sinto muito Henry - exclamou -, mas realmente a culpa é toda sua. Aquele livro que me mandou fascinou-me tanto que me esqueci de que as horas iam passando.
- Sim, pensei que havia de gostar dele- Replicou Lord Henry, erguendo-se da cadeira.
- Eu não disse que gostei, Henry. Disse que me fascinou. Há uma grande diferença."



4 comentários:

Cupcakke disse...

Tenho esse livro em stand by para ler há imenso tempo.

Nota: o teu header é um tudo nada assustador, uma pessoa abre o blog e depara-se com caracóis gigantes e fica na duvida se abriu o blog ou o menu do restaurante da praia

m disse...

andas a ler como as pessoas grandes. bonito.

Hathor disse...

vou ler .... so para ver se concordo contigo.... mas nada é pior ou foi pior que o Red Weeding.... .:'(

André disse...

Cupcakke - que não te falte nada! meti um coelhinho no cabeçalho!

m- sou uma mulher financeiramente independente, já sou crescida!

Hathor - eh pá, o livro é mau no que digo mas delicioso de se ler, o red wedding.. enfim