sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Memo Romântico- ou exactamente o oposto.

Hoje ao desfolhar o jornal Público do dia anterior no café encontro um artigo sobre Braga.
A foto que alegrava o texto era composta por um casal de namorados que se beijava na esplanada de um café no centro da cidade.
Reconheci a porta imediatamente.
Lembrei-me de estar ali, de pé à espera que ela voltasse.
Lembro-me de ela me abraçar à porta do café e entregar a sua boca à minha.

Lembro-me que demorou imenso tempo na casa de banho e me tinha dito que lhe tinha caído muito mal o almoço.


2 comentários:

Estudante disse...

Recordações ;)

Daniela disse...

As memórias são as células que adensam a teia da vida, acompanhando-nos como um véu de nevoeiro que nos ajuda a percorrer o caminho, dispostos a criar outras, novas, quanto permitirmos que o destino aconteça.