sábado, 16 de fevereiro de 2008

Nefertiti...

Hipnotizado. sentia-se hipnotizado, incapaz de desviar a atenção dos olhos azuis que o amarravam.
via-a ondular o corpo ao som da música à sua frente, as mãos dela soltaram o cabelo louro ondulado sobre os ombros bronzeados, partindo de seguida para para o seu pescoço, rodeando-o, puxando-o para si. sorriu, aproximou-se e beijou-o arrebantando-o. Se estava hipnotizado... rendia-se, sem condições "e de boa vontade".
Sentiu a lingua dela dentro da sua boca, suave mas determinada, voraz mas carinhosa... o cheiro doce do cabelo dela em seu redor, a tensão quando o corpo dela se comprimia contra si sem deixar de acompanhar a música...
era demais para conter, agarrou-a firme contra si, apertando-a na ânsia de a consumir e de algum modo aplacar a vontade que não havia forma de controlar.
Afastou-o. fitou-o, mordeu o lábio. tinha-o onde queria.
puxou-o pela mão para a praia, para longe da música de da multidão, queria-o para si e só para si. longe do mundo, longe de onde o pudesse perder.


- estás a pensar no quê agora? - perguntou-lhe enquanto percorria com o indicador o peito dele.
- ah... em ti...
- mentiroso! diz-me no que estás a pensar... e diz-me a verdade... mesmo que estejas a pensar noutra... quero saber o que estás a pensar...
- em ti... a sério...
- és tão mentiroso... não me contas nada... porquê que nunca me falas da tua ex? quero saber e não me contas...
- queres saber o quê da ex? não há nada a dizer...
fitou-o cruzando os braços - estou à espera, conta-me qualquer coisa...
- bem... ela dizia-me que queria que eu a tratasse com uma princesa... estava sempre a dizer-me isso... chegava a ser chata... um dia disse-lhe que não a ia tratar como uma princesa... ia tratá-la como uma rainha! uma rainha egypcia...
- e então?
- então nunca mais me chateou... agarrei nela, mumifiquei-a, enfiei-a numa caixa e enterrei-a no quintal...






Nefertiti (c. 1380 - 1345 a.C.) foi uma rainha da XVIII dinastia do Antigo Egipto, esposa principal do faraó Amen-hotep IV, mais conhecido como Akhenaton

4 comentários:

Deizz disse...

um grande e barulhento: BRUTIFUL!!!!! brilhante!!!

Bibinha disse...

lololololol
alguém um dia começou a chamar-me Hathor... e continuou por muito tempo sem me explicar o porque....
E fui tratada como uma Deusa ;)
Ai André, André.... o trabalho a ficar para trás e eu a rir-me que nem uma tolinha com as coisas que escreves-te há anos atrás lololol

André disse...

Bibinha- e eu que me perguntava o porquê dessa tua alcunha

Bibinha disse...

é a minha alcunha favorita, lembram-me dos tempos mais felizes que vivi.
Infelizmente, demasiada gente a conhece e a relaciona comigo... e eu quero continuar anónima na blogoesfera :)