sexta-feira, 16 de julho de 2010

1.8 Segundos

Em tão pouco tempo, tão casual como ter olhado para esse teu lado... em ti ter aterrado, ter ficado e me desgraçado.

Arruinado para as outras mulheres...

Demorei uns meros 0.8 segundos a reconhecer o teu rosto- olhar, analisar, não olhar para o decote e ter a certeza que eras tu.

Fiquei somente um segundo, um misero segundo mais saboreando o sorriso que desenhaste para mim...

Foram apenas e somente 1.8 Segundos ao todo mas foram o suficiente...

Arruinei a minha carreira de saltimbanco emocional, um Deus nómada criado para aplacar as necessidades das mortais - mas belas - mulheres que... agora...

Agora nada terão.

Eu naufraguei-me nesse curto instante no arquear do teu sorriso, preso como adamastor, derrotado e rendido por uma imagem que apenas por segundos... apenas 1.8 segundos me venceu...
Imagem tal que este idiota se perdeu, sem aviso ou esboço de reacção, qualquer tentativa fugaz de resistência... e tu...

E tu sorrias para mim mulher...

(Que cabra!)

E eu agora que contabilizei o tempo, o tempo que levaste a dar cabo de mim, 1.8 segundos mais de um ano atrás, eu aqui tão preso nesse instante.

Amaldiçoo tudo e todos, eu tu e os teus primos, amaldiçoo o Sol, o Cyrano de Bergerac, amaldiçoo-te o decote e o que quer que tinhas a prender-te o cabelo - que te exponha mais o rosto, que me aliciava com o teu pescoço...

O teu ombro despido para mim...

Butterfly...





Nota- Odeio-te Joana que me obrigas a isto... espero que ao menos me tenhas trazido caramelos!!

Foi neste malfadado instante que nasceu o conceito "Butterfly"

Um comentário:

Joana disse...

Conceito este que domina grande parte da tua vida!!
Este colocar da música no final é um abrir de uma terceira dimensão..
:)
Grande momento.