segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Melro de Telheiras

Oito anos atrás descobri que tinha um Melro a viver no telhado do meu prédio a quem - não sei bem porquê - dei o nome de " O Devasta".
Noites de insónia em que o Cabrãozinho passava - piu? piu? piu? e eu a rebolar na cama.
Uma certa noite, anos atrás, ele recomeçou com o Piu? Piu? e lá ao longe oiço para meu desespero...

Piu!!!

E a partir dai, o Piu? solitário passou a ser um diálogo sádico para os meus ouvidos e noites por dormir.

Mas... como eu até nem sou um gajo de ressentimentos, passei a achar piada ao gajo e até, para minha surpresa, via o Melro em cima do meu carro quando saía de casa inúmeras vezes - sem que me cagasse em cima do mesmo, o que é sempre bom.

Ontem acordo com um Piu? mais forte, perto pertinho, do outro lado do vidro da varanda do meu quarto.
Segundos depois eram dois Pius!, rápidos e em frenesim.

Espreguiço-me e arrisco-me a abrir os olhos, viro-me para a varanda e...

Está o sr Melro em cima de uma Melra a "Piar-lhe" as penas todas por detrás como vem nas regras de etiqueta de telheiras.








3 comentários:

Never Told Words disse...

Logo pela manhã é que se começa o dia :D

Pusinko disse...

Não era um melro?

Chilreada primaveril de madrugada... sofro imenso com isso. :/

André disse...

@pusinko- é como escreves e eu digo, escrever no post correctamente é que enfim...