terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Nostalgia

Nostalgia não tem pressa, demora o seu tempo a passar. É fácil a encontrar em algo que suavemente passa e perder o tempo nesse vagar, levados a uma qualquer memória desconcertante. Infelizmente eu, em perfeito cenário ali pelas portas do sol, com morna a tocar ao fundo por quem pede a gratidão em forma de moeda num solarengo fim de tarde... A única coisa que me ocorre é que eu devia ter carta de cacilheiro...

E sacar um ganda cavalinho da Trafaria a Belém...

Um comentário:

Never Told Words disse...

Uma boa ideia para um novo desporto radical :)