sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

The Hobbit, An Unexpected Journey.


De Peter Jackson, com Martin Freeman, Ian McKellen, Richard Armitage, Cate Blanchett, o grande Christopher Lee e o simplesmente extraordinário Andy Serkis.

Baseado no livro The Hobbit, or there and back again de J. R.R. Tolkien.

Vou fazer como o Peter Jackson e vou dividir isto em três partes.

Como filme, esquecendo que existe um livro, esquecendo que existe um filme de animação já feito (the hobbit de Ralph Bakshi que também fez uma versão animada do Senhor dos anéis, elementos incontornáveis para analisar os filmes de Peter Jackson pois ele claramente veio beber muito destas duas animações), esquecendo que existem três filmes do mesmo realizador sobre este universo ou que este é o primeiro de uma trilogia, ou seja, analisando o The Hobbit como peça única e isolada...é dos melhores filmes de acção  /aventura deste ano - e do género até agora feitos.

Como adaptação do Livro de Tolkien - estranhei e compreendo a exclusão do Tom Bombadil da trilogia do Senhor dos Aneis, um livro é um livro, um filme é um conceito totalmente diferente, e funciona de um modo totalmente diferente.
Assim sendo, todos os elementos extra neste filme- sejam flashbacks a momentos que no livro podiam ser uma frase ou nem sequer são referidos - parecem-me pertinentes para solidificar o filme e este assentar a sua narrativa em algo que não obrigue quem vê o filme a dizer - não percebi, era suposto ler o livro? - elemento que falhou de um modo gritante no the hunger games por exemplo.
O humor deste filme é simplesmente... mágico, e parece-me colocado na dose certa para não se perder a tensão e a seriedade da narrativa que estão a contar.

Como filme enquadrado com a trilogia do Senhor dos Anéis...  o filme começa com Bilbo e Frodo a falarem de uma festa, a mesma com que começa o Senhor dos Anéis, há também ao longo do filme toda a uma série de amarras que caso os dois filmes que sucedem o Hobbit sejam ao nível, teremos 6 filmes ligados entre si, perfeitos para sentar um futuro puto que o leitor tenha no sofá e dizer - vou-te mostrar uma história...

E deixar a criancinha absorver a magia, ganhar o gosto e crescer a sonhar com dragões e personagens misteriosas de barba cinzenta com um chapéu ponteagudo.

Gostei mesmo muito deste filme, não lhe darei pontuação como é normal nas reviews de cinema aqui no blogue.



Nota - Para não falar de ziliões de cenas que podia fazer referencia... vou falar de uma que não podia deixar em claro e que de certeza que daqui a muitos anos - quando tiver o futuro puto no sofá ao meu lado - vou estar deliciado a rever, provavelmente a olhar para a cara do puto para lhe ver a mesma reacção que tive quando...

O Gollum, o Gollum a esforçar-se desesperado com força a tentar descobrir uma adivinha do Bilbo...

Oh pá...





Um comentário:

Never Told Words disse...

Está na minha lista :)
Perco a cabeça por pequenos homenzinhos lolol