segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Troll - Edição: "Deixai vir a mim as criancinhas..."

 - Os eventos relatados a seguir sucederam-se numa segunda feira à noite no Colombo -

- Só uma das crianças envolvidas se aleijou mas a culpa não foi mais-ou-menos minha -


Em piloto automático executo o meu pedido.

Oiço-a refilar quando capricho na dose de azeitonas - não sei qual é o problema de pedir 3 doses de azeitonas...


Pago o(s) jantar(es) e arranco com o tabuleiro para a mesa.

Sento-me e aguardo que se sente diante de mim, elogio-lhe a camisola e o quão bem ela combina com a saia.
Interrompo-lhe a resposta.
Confesso-lhe que a maneira como tem o cabelo é jogo sujo e só me calo quando vejo que a desconcentrei e lhe dei um pouco de cor ao rosto.

Ela fita-me sem conseguir responder...

Ela não me fita sozinha.

À sua esquerda, numa mesa atrás de si sentado com os paizinhos está uma criancinha a fitar-me intensamente.

Olho para o puto, faço cara séria e agressiva.

Ela pergunta-me se as azeitonas com massa estão boas, eu trago a minha atenção do pequeno infante para o jantar.

Minutos depois reparo que ainda sou o centro das atenções da criança.

Olho bem nos olhos do imberbe, levo o indicador ao queixo dizendo-lhe  "estás sujo no queixo..."

Vejo-o tentar limpar o queixo onde não estava sujo.

Insisto.

Ele volta a insistir e faço-o escaranfunchar a cara durante saborosos minutos até que...

- Mas o quê que tu tás a fazer?????????

- Xiiu... tou a trollar o puto...

- Mas... - virou-se para trás - mas o puto não tá sujo!!!

- Eu sei boneca... eu sei...

- Mas o quê que o puto te fez?

- Tava a olhar para mim estranho...

E levo o guardanapo ao queixo.

Ela bate-me na mão e obriga-me a acabar de comer sem levantar os olhos do prato ou olhar para a sua esquerda.

(Não posso pedir 3 doses de azeitonas, não posso trollar crianças... não posso ficar a dormir na tua cama quando tu vais trabalhar e ficar a dar bufas e atirar fotos de mim a dormir na tua cama...

A dormir de lado, de bruços, a dormir de barriga para cima...

porra não posso fazer nada mulher!!)

Visto o casaco

Ajudo-a com o dela, deixo que se abstraia de mim e fico para trás... obviamente para retocar e reafirmar ao puto que continuava sujo...

Ela vê, apanha-me e eu apanho.

-
Sentados no Café di Roma aguardo que me diga se o café mocca corresponde à publicidade que lhe fiz. quando distraída... 

Se suja no rosto com as natas..

Oh... generosos Deuses, não sou digno de tal oferta.

Aponto-lhe para a bochecha.

- Mau... André... não tens graça.

- A sério, tás mesmo suja de lado.. não sentes?

- Não tem graça! se estamos a falar de... pára de apontar e de te rir!!

Tiro-lhe uma foto com o telemóvel.

Limpo-lhe o rosto com o polegar.

Mostro-lhe a foto.

- Olha André... vai à merda...

- Vai tu...

-


Separamos-nos na Springfield quando vou para a fila da caixa com o cachecol ultra sexy e fofo que encontrei e ela decide que quer que eu veja uma camisola que viu que me fica bem de certeza e tenho que experimentar e...

E eu vou para caixa, antes que ela encontre a camisola.

Entram 3 putos a correr pela loja adentro.

Os três juntos às cavalitas uns dos outros não faziam o meu 1.80.

O primeiro, uma miúda loirinha bolachuda com coisa de 4 aninhos dá uma marrada no balcão.
O irmão também loirinho e com cara de serial killer encaixa-se na minha perna direita e começa a trepar por mim acima.

O terceiro em sprint ao passar diante de mim tropeça-me no pé esquerdo e inicia um bonito e épico voo em direcção ao chão quando o apanho pelas costas da camisola com a mão.

Porque eu sou um gajo cheio da piada digo em voz alta:

- Mário Miguel! já te disse para estares quieto!!!

Responde-me a mãe do puto que entretanto chegara à loja

- Ele não se chama Mário Miguel!!!

Puxo o que estava a subir-me pela perna para o meu colo e digo:

- Este é que é o Mário Miguel?

- Esse é o Filipe!!!

- Não me vai dizer que chamou Mário à miúda...

E de queixo caído em choque com a cena e de camisola na mão (que por acaso tenho agora vestida enquanto escrevo isto) Ela diz-me : - Ernesto!! mas tu... não te posso deixar 1 minuto...

- Hey!! eu não me chamo Ernesto!!
- E o filho da Sra não se chama Mário Miguel!!!
Avanço um passo para o balcão, entrego o cartão de cliente o cachecol e a camisola, a empregada na caixa sorri, lê no meu nome no cartão de crédito onde está escrito Rui Real e atira-me um - Obrigado e boa noite Sr.Vasco, até à próxima.



2 comentários:

Turtle disse...

Lindo XD

Bibinha disse...

Essa avó é a junção do pior que as minhas duas avós têm. hehehehehe
Ainda bem que elas não se juntam assim tantas vezes hehehehe.
adorei a parte do não é gay :)